maranata de gedelti gueiros – andando no centro do erro – contaminada desde o início

A OBRA: Andando no Centro do Erro

“A OBRA”: ANDANDO NO CENTRO DO ERRO
“Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai
os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas
têm saído pelo mundo fora.
Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que
confessa que Jesus veio em carne é de Deus; e todo espírito que
não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é
o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem
e, presentemente, já está no mundo.
Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos
profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele
que está no mundo. Eles procedem do mundo; por esta razão
falam da parte do mundo, e o mundo os ouve.
Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus nos ouve;
aquele que não é da parte de Deus não nos ouve. Nisto
reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.” 1 João.
4.1-6
A ICM-PES foi contaminada, desde o início, em QUATRO QUESTÕES
de grande importância:
a) “discernimento de espíritos”;
b)interpretação de sonhos e de visões;
c) impedimentos na educação não formal;
e d) proibição na educação formal teológica de pastores.
A contaminação começou bem no início, a partir de Vila Velha –
ES, nas reuniões dominicais de membros do Presbitério. A duras penas os
“Valentes da Obra” começavam a aprender que na OBRA manda quem pode e
obedece quem tem juízo. Faltar àquelas convocações… nem pensar.
A falta de ardente desvelo – individual – pelo ministério começava
a criar descontentamento e escavar lugares para as raízes de rebelião. Deste
modo, fomos muito prejudicados tanto no que diz respeito ao aprendizado não
formal de como interpretar revelações, sonhos e visões, quanto na intervenção
do bíblico “discernimento de espíritos”. Lamentavelmente, esta geração de
crédulos continua entorpecida com o erro… e gosta disto! O potencial destrutivo
está presente no ministério da ICM-PES.
Quero relatar algumas cenas que aconteceu. Perguntas sinceras
merecem respostas sinceras… e elas estão neste Tópico.
Certo membro da elite do Presbitério (1) elaborou uma apostilha
de interpretação dos chamados “dons espirituais”, distribuição exclusiva para
os pastores, logo considerada manual de interpretação de dons (que abrevio:
MID), cujo conteúdo estava mais para literatura de banca de jornal do que
competentes fundamentos a respeito de interpretação de dons; e o que deveria
servir de bênção na educação não formal dos aprendizes dificultava, em muito,
o bíblico “discernimento espiritual”.
Consultar (abrir, ler e fechar) a Bíblia fazia-se ininteligível e
mecânico, no mais das vezes entremeado com o anúncio: “revelação!” Deste
modo, a criteriosa demonstração do MID foi ficando para traz… e os erros
começaram. E foram muitos desacertos encobertos com o esperto “jogo de
cintura”. Desde então, sobre os pastores pesava (e ainda pesa) a mesma
resposta de Cristo Jesus aos orgulhosos saduceus (Mt. 29.29): “Errais, não
conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus”! Se nos deixamos ficar na
mesma maneira de viver dos inimigos de Jesus, que glória nos restava?
Naquelas antigas convocações dominicais, consultado o “dom”,
aguardava-se o augusto “discernimento”, nunca relacionado com o contexto
das Doutrinas Cristãs Fundamentais, nem com as Escrituras Sagradas. A
inusitada pressa em se apresentar com o “discernimento” aliado ao esforço na
construção de heresias (2) fazia do primaz inigualável malabarista. Diante do
“dom” ininteligível ele conseguia desviar a atenção dos presentes e enchia o
tempo com longos sermões, certo que a credulidade dos presentes sustentava
a linguagem do não-pensamento. Ele gostava (e gosta) de exercer a primazia!
Nenhum de nós poderia imaginar o que hoje se vê como frutos de
nossos desacertos e de deturpação das Escrituras (3). Por oportuno, a
credulidade, a linguagem do não-pensamento, o afastamento das Escrituras, o
excesso de confiança nos membros da elite e o impedimento para a adequada
educação não formal cada vez mais nos colocava em uma desagradável
posição: ANDANDO NO CENTRO DO ERRO.
Nesta condição, a influência da apostilha era fato inconsciente e
incontestável. As sementes da incorreta interpretação estavam sendo
plantadas na mente dos pastores, a maioria deles ordenados por “dons”, a
moda da casa. Algum estudioso poderia dizer que o “consciente coletivo” (4) da
denominação estava em formação para as gerações. Cores, números e
símbolos oníricos eram “interpretados” em meio aos desacertos; e, de costume,
entraram no ensino e pregação com as nuances de “doutrina revelada” (5).
• AEROPORTO – a OBRA se expande rapidamente;
• ÁGUIA – a OBRA vê novos horizontes;
• ANJOS – a OBRA está na eternidade;
• BATISMO – a OBRA oferece uma fé renovada;
• BICICLETA – esforço individual atrapalha a OBRA;
• BOLSA – o controle do dinheiro é on-line e para o futuro da OBRA;
• BORBOLETA – a OBRA saiu do casulo e está em crescente metamorfose;
• CABELOS COMPRIDOS – as revelações para o Corpo da Obra emergem do PES;
• CACHORROS LATINDO – a caravana da OBRA continua na caminhada do deserto;
• CADÁVER – o que sai da OBRA não tem jeito: morre sem salvação;
• CAJADO – a OBRA está no comando das denominações;
• CANHÕES – os dons da OBRA atingem as distâncias da eternidade;
• CAMELO – a OBRA está abastecida para atravessar os desertos;
• CAMINHÃO CARREGADO – a bênção espiritual da OBRA para os encontros no
Maanaim;
• CAMPO DE BATALHA – a OBRA de Davi está vencendo a Casa de Saul;
• CHUVAS SERÔDIAS – a abundância de dons e maravilhas da OBRA;
• ESCADA – a ascensão e transformações da OBRA;
• ESCURIDÃO – na OBRA estamos livres de recursos e religião dos homens;
• ESPADA BIGÚMEA – o discernimento “além da letra” é exclusivo da OBRA;
• ESPELHO – a OBRA mostra o modelo para as igrejas;
• FLORES – a graciosa sensibilidade dos “dons” que operam na OBRA;
• FORMIGAS – os servos da OBRA obedecem às normas e orientações do
Presbitério;
• HOSPITAL – somente a OBRA oferece socorro os feridos da religião;
• INCÊNDIO – as bênçãos espirituais são para os servos da OBRA;
• MÃO – os 05 dons do ministério de Cristo atuam na OBRA;
• MINA DE OURO – a doutrina revelada é exclusiva e para a OBRA;
• ÓCULOS – o discernimento espiritual de que a OBRA é modelo;
• PADARIA – na OBRA o pão quentinho é servido a cada dia;
• PROFESSOR – a OBRA é mestra das demais igrejas;
• TANQUES DE GUERRA – os valentes gerados na OBRA;
• TRIGO – o alimento da OBRA prevalece contra o joio da religião.
Portanto, a fim de que o “dom” (revelação, sonho ou visão)
confirmado pela consulta apresentasse algo convincente, o dominador do
rebanho entrava em cena. No mais das vezes, certo sonho ou visão dava
margem a cansativos “discernimentos” de mais de hora, entremeados com
dezenas de jargões surrados do tipo: “a Obra”; “eternidade da Obra”; “inimigo
da Obra”; “nesta Obra”; “porque a Obra”; “quem sai da Obra” etc. O jogo de
cintura do mestre demonstrava esperteza que gerou “a mentalidade de Obra” –
que mediocridade! O modelo de “discernimento” entrou na experiência
(educação não formal) dos pastores e na formação da “doutrina revelada”, hoje
institucionalizada, dando margem à intrusão de graves heresias, como
denunciamos (6), (7).
Sendo a manifestação do dom de “discernimento de espíritos” (1
Co. 12. 10, gr. diakriseis pneumaton) algo de desejo imprescindível e intenso,
segundo o padrão do Novo Testamento, a evidência deste carisma poderoso
somente pode ser demonstrado no contexto da fé e obediência às Escrituras.
De Deus não se zomba! Forçosamente, a revelação deste dom tem como
Fonte o Espírito de Cristo Jesus. Ora, a ação divina que comunica a
manifestação deste “carisma” à “igreja de Deus… corpo de Cristo”, comunica o
absoluto ao examinar, desde a raiz, o que está escondido. O dom de
“discernimento de espíritos” examina o desconhecido, o mais misterioso e
profundo das manifestações, prodígios e sinais, em especial quando agentes
do falso profetismo, deslealdade ministerial e os poderes do inferno estão
presentes.
Verdadeiramente, o dom de “discernimento de espíritos” é a ação
do Espírito de Deus invadindo o domínio do invisível onde os obreiros
pseudocarismáticos dissimulam intenções por darem ouvidos “a espíritos
enganadores e a ensinos de demônios”, conforme o ensino do apóstolo Paulo
(1 Tm. 4.1). Alguém acha que o líder do rebanho investigaria as possíveis
raízes satânicas do “dom” em consulta? Nem pensar! O fracasso na expulsão
de demônios, em ocasião anterior, deixara marcas e medo de repetir o
insucesso… evidenciando orgulho religioso! Então, “para que cutucar o inimigo
com vara curta” (ele dizia), se esta investigação poderia colocar outro pastor da
Obra em situação de vexame? Mas o apóstolo João afirma (1 Jo. 4.1 – ênfase
nossa): “PROVAI OS ESPÍRITOS”. Porém, tal não aconteceu… e aqui começa
o desaparecimento do ministério dos evangelistas… mas isto é assunto para
outra ocasião.
CONCLUSÃO
A aparência de “crente espiritual” cimentou condutas pastorais e
fundamentou o orgulho religioso que hoje se vê no exclusivismo de “Obra
revelada”. A covardia, a cumplicidade e a infidelidade às Escrituras
prevaleceram. Nesta geração de crédulos o mal está enraizado.
Profundamente! O joio cresceu junto com o trigo, enquanto os obreiros
continuam dormindo… e ai daquele que acordar!
A augusta autoridade eclesiástica deu provas de que não
obedecia às Escrituras e nem exercia fé no poder de Deus. As falhas foram se
acumulando… e não quisemos reconhecer os erros, não pedimos perdão aos
que foram feridos com nossos desvios do bom caminho, cujos limites estão
traçados pelo Altíssimo Deus, como diz a Escritura (Is. 30.21; Jr. 6.16 – ênfase
nossa):
“Quando te desviares para a direita e quando te desviares para a
esquerda, os teus ouvidos ouvirão atrás de ti uma palavra, dizendo: ESTE
É O CAMINHO, ANDAI POR ELE. (…) Assim diz o SENHOR: Ponde-vos à
margem no caminho e vede, perguntai pelas veredas antigas, qual é O
BOM CAMINHO; ANDAI POR ELE E ACHAREIS DESCANSO PARA A
VOSSA ALMA; mas eles dizem: NÃO ANDAREMOS.”
As fantasias dos falsos mestres e dos falsos profetas andam
soltas como a imaginação das crianças sentadas nos cavalinhos do carrossel.
O carrossel gira e gira… e sobe e desce… mas continua no mesmo lugar, preso
ao centro, no lugar de destaque do parque de diversões. Enquanto
dançávamos as cirandas doutrinárias (cabala, chantagens doutrinárias,
construtos humanos, heresias, numerologias e vãs sutilezas) no Maanaim (8),
nós girávamos presos ao centro do erro e não percebíamos que a dominação
quadregenária estava em curso. Porém, o Espírito de Cristo Jesus pode
colocar freio nesta opressão.
As falsas profecias, falsas revelações e falsas visões são comuns
na “feira de dons”, conforme depoimentos em diversos Tópicos desta
Comunidade. Biblicamente pensando, dos que lá (ou aqui) estão quem não
inventou “dons”? E quem chorou arrependido do mal que fez aos seus irmãos?
Não há como negar que o dominador do rebanho não arreda o pé
do palácio da rainha desfigurada; porém, ele está ANDANDO NO CENTRO DO
ERRO. Não há como contestar, desmentir ou duvidar: cada vez mais a ICMPES
mergulha em apostasia (2 Ts. 2.3-4, gr. rebelião – a negação da fé em
Deus) individual e coletiva (10).
Neste contexto se entende a força dos arts. 5º, 25 e 26 do
constitutivo eclesial obrigando que todos aceitem “integralmente a doutrina,
normas e orientações espirituais emanadas do Presbitério”, pena de exclusão
sempre humilhante e sem direito de defesa.
O EVANGELHO DO ETERNO É ABSOLUTO. Nada existe no
Evangelho que aos pseudocarismáticos e sofistas possa satisfazer. O que
deixei registrado, o fiz, no âmbito das idéias e por amor ao Testemunho da
Verdade. Antigamente nenhum de nós podia manifestar-se, por melhor que
fossem nossas palavras. O cabresto e freio eram os instrumentos da retranca.
Nesta Comunidade, com amparo na Carta Magna, podemos manifestar nossas
opiniões que são respeitosas e verdadeiras.
Por temor de perder o que foi acumulado por orgulho que incita a
discriminação eclesiástica e o ódio religioso, como escapar dali sem angústias,
desilusões e traumas, se em defesa da fragilidade do sistema a elite das elites
“degola” os desafetos e destrói suas famílias? As ameaças continuam.
Se alguém já percebeu estar debaixo da autoridade de obreiros
pseudocarismáticos, LIVRE-SE DELES E DEPENDA EXCLUSIVAMENTE DO
ESPÍRITO DE CRISTO JESUS.
A Paz do Senhor Jesus.
NOTAS:.
Atenção: Retornando à Comunidade em 30.11.2008 escrevi A OBRA: CONSTRUINDO HERESIAS. Ao
postar o Tópico ainda não havia percebido que Natsu Kao já havia escrito o texto Refutando HERESIAS:
ALÉM DA LETRA (cabalismo) onde aparece a maioria dos símbolos que os mestres e pastores da ICMPES
emprega para animais, cores, materiais e objetos, na tentativa de “interpretar” o que passa na
cabeça de cada um daí surgindo a “doutrina revelada”. Em 07.01.2009 escrevi A OBRA: ANDANDO NO
CENTRO DO ERRO onde faço referência ao excelente trabalho de Natsu Kao.
Refutando HERESIAS: “ALÉM DA LETRA” (cabalismo)
.
.
(1) Pastores ordenados pela ICM são membros do Presbitério e denominados representantes do
Presbitério. Consulte art. 6º do Estatuto da ICM em
.
(2) “A OBRA”: CONSTRUINDO HERESIAS
.
(3) ENGANAÇÃO: MINISTRAÇÕES CONFUSAS E INCOMPLETAS…
.
(4) A mente humana, para Carl G. Jung, psicanalista, possui padrões de comportamento denominados
arquétipos, que são referências de valores e virtudes. Se a especulação jungiana é plausível, como
alguns insistem, na ICM-PES os fatos permitem ao estudioso alcançar o doutorado.
.
(5) A expressão “doutrina revelada” (e equivalentes) é bastante comum entre antigas seitas:
adventistas, cristadelfianos, mórmons, russelitas (testemunhas-de-jeová) e outras.
.
(6) “A OBRA”: LOUVOR COM GOSTO DE HERESIAS
.
(7) CRENTE FOLHA SOLTA VOANDO PRA LÁ E PRA CÁ
.
(8) Refutando HERESIAS: “ALÉM DA LETRA” (cabalismo)
.
(9) “A OBRA”: A DOMINAÇÃO QUADRAGENÁRIA!
.
(10) A BÍBLIA DE ESTUDO PENTECOSTAL – CPAD, p. 1903, oferece um bom estudo a respeito da
APOSTASIA PESSOAL.
.
(11) A esperada apostila (trechos) para Pastores da ICM
.
(12) MENSAGEM DE NATAL – PAZ E AMOR – PES
=3&nst=11&nid=1278527-5279168496521237906-5279170351947109778

Sobre cavaleiroveloz

Porque, se tomarmos parte no sofrimento de Cristo, também tomaremos parte na Sua glória
Esse post foi publicado em Testemunhos de obreiros, servos, pastores, diaconos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para maranata de gedelti gueiros – andando no centro do erro – contaminada desde o início

  1. Pingback: igreja cristã maranata – um triste recorde « a obra revelada da icm maranata

  2. Pingback: igreja cristã maranata – a verdade sobre a igreja cristã maranata em 500 testemunhos de quem saiu da igreja cristã maranata « a obra revelada da icm maranata

  3. Pingback: igreja cristã maranata – a verdade sobre a igreja cristã maranata em 500 testemunhos de quem conseguiu sair da igreja cristã maranata « A igreja cristã maranata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s